terça-feira, 1 de setembro de 2015

Orgulho


"Perdemos a oportunidade de ficarmos calados, por sermos inseguros, por sermos ingratos.
No Inverso do certo transitam a irresoluta desordem de nossos pensamentos.
A complexidade de nossa consciência concede espaço para o autor de nossa ufania.
Sentimento verdolengo, imprudente, imaturo. Insensato, infante, prematuro.
Pedante, ególatra, soberbo, hipócrita. Enfesto ao superego, alimento a nossa altivez.
Orgulho... Nada mais que orgulho.
Assim que eu me render e sucumbir de minha ignorância, cair de meu brio.
Dessarte serei, talvez, merecedor de teu amor pela primeira vez."

Fellipe Madeira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário